Ajude a proteger o futuro das nossas crianças: participe da campanha de vacinação contra a Poliomielite

Por Prefeitura de Manaus – 20, junho, 2024


A cidade de Manaus está de braços unidos na Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomelite, que acontece de 1 a 14 de junho com estratégia massiva de cobertura em todas as crianças de 1 a 4 anos, que devem receber a dose extra da vacina oral, a famosa gotinha. Os bebês menores de 1 ano com atraso no esquema vacinal também devem ser levados a uma unidade básica de saúde.

O calendário básico nacional prevê três doses de vacina injetável (VIP) a cada 6 meses, sendo uma aplicada aos 2 meses, outra aos 4 e a última aos 6 meses de idade. Depois do esquema inicial, as crianças devem receber duas doses de reforço via oral (VOP ou gotinha): uma aos 15 meses e a outra aos 4 anos.

Conhecida como paralisia infantil, a poliomielite teve seu último registro no Brasil em 1989 e o país foi certificado como livre da doença em 1994.

Entretanto, em 2023, o Brasil foi classificado como país de alto risco para a reintrodução do poliovírus, causador da doença, de acordo com a Comissão Regional para a Certificação da Erradicação da Poliomielite na Região das Américas (RCC).

Para não deixar a pólio ameaçar o futuro das crianças, a Prefeitura Manaus montou um esquema de atuação que inclui 150 unidades básicas de saúde do município, além de busca ativa e conscientização por meio de campanhas educativas.   

A dose da Campanha Nacional de Vacinação em vigor é adicional e, mesmo que a criança já tenha recebido o primeiro ou o segundo reforço, ela deve reforçar a dose. Todos são peça chave no esforço coletivo para proteger a população contra a Pólio.

Pais e responsáveis devem apresentar um documento oficial de identificação da criança, a caderneta de vacinação e o Cartão Nacional de Saúde (Cartão SUS) ou o CPF. Os endereços e o horário de funcionamento das unidades de saúde com salas de vacina estão disponíveis no link https://bit.ly/SalasVacinaManaus1.

A poliomielite não tem cura e pode afetar crianças e adultos. A doença é contagiosa e sua transmissão se dá por meio do contato direto com fezes ou com secreções eliminadas pela boca das pessoas doentes. As consequências são a ausência ou diminuição de força muscular no membro afetado e dores nas articulações, podendo chegar, nos casos mais graves, à paralisia dos membros inferiores.

A vacinação contra a poliomielite é segura, eficaz e amplamente disponível. Vacinar-se contra a poliomielite não é apenas uma medida de proteção individual, mas também uma ação de responsabilidade com o futuro.