Tosse com mais de 2 semanas pode ser tuberculose!

Por Prefeitura de Manaus – 18, abril, 2024

Dia 24 de março é o Dia Mundial do Combate à Tuberculose. A data foi escolhida pela Organização Mundial de Saúde (OMS) em homenagem aos 100 anos da descoberta do bacilo causador da doença. E apesar do tempo e todos os avanços no combate à doença, a tuberculose ainda preocupa e exige atenção.

Em Manaus em 2022 foram diagnosticados 2.667 novos casos da doença. A cidade é, inclusive, a capital com maior incidência de casos no Brasil, concentrada em adultos jovens na faixa etária de 20 a 49 anos, sendo 58,6% do sexo feminino e 60,5% do sexo masculino, segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa).

E mesmo havendo tratamento gratuito na rede municipal de saúde, cerca de 18% das pessoas não o concluem, mantendo a cadeia de transmissão. Para se ter uma ideia da atenção necessária à doença, Manaus ainda registra a média de morte de 100 pessoas por tuberculose ao ano.

Para saber: a tuberculose é transmitida por meio da tosse, espirro ou fala, quando você tem um contato próximo e prolongado com uma pessoa que apresenta sintomas. Ao espirrar, tossir ou falar, a pessoa contaminada espalha no ar as bactérias que podem ser aspiradas por outras pessoas.

Conheça os sintomas

  • Tosse há mais de duas semanas, acompanhada ou não de febre no fim do dia;
  • Suor noturno;
  • Falta de apetite;
  • Perda de peso;
  • Cansaço;
  • Dor no peito e nas costas.

Como se prevenir

Manter os ambientes ventilados e com a entrada de luz solar ajuda;

Fazer o diagnóstico precoce;

A vacinação também é uma grande aliada. A BCG, recomendada para menores de 5 anos, protege as crianças contra as formas mais graves da doença, como a tuberculose miliar e meníngea.

É preciso atenção. Está com tosse há mais de duas semanas? Pode ser tuberculose. E se você não tem os sintomas, mas conviveu com alguém que tenha tuberculose, você também precisa de avaliação. Vá à UBS mais próxima e faça seu exame.

Se diagnosticada, a tuberculose tem tratamento e cura, desde que os cuidados não parem. O tratamento pode chegar a dois anos ou mais. É preciso paciência, pois caso o tratamento seja interrompido antes do tempo, ou se os remédios forem tomados de forma irregular, o paciente volta a transmitir a doença e os micróbios se tornam mais resistentes.

Cuide de sua saúde. Mais informações em semsa.manaus.am.gov.br.